Início » Conhecimento » Eventos » Supremo Tribunal Federal Equipara Cônjuge e Compan...

Supremo Tribunal Federal Equipara Cônjuge e Companheiro Para Fins Sucessórios

06 de junho de 2017

Em 10 de maio de 2017, o Supremo Tribunal Federal – STF, ao apreciar os Recursos Extraordinários n.º 646.721 e 878.694 em sede de Repercussão Geral, reconheceu de forma incidental a inconstitucionalidade do art. 1.790 do Código Civil, que estabelece condições para a participação do companheiro na sucessão, como a determinação de que o companheiro concorra com outros parentes sucessíveis, além dos ascendentes e descendentes.

Dessa forma, foi declarado o direito dos recorrentes de participarem da herança dos seus respectivos companheiros em conformidade com o regime jurídico estabelecido no art. 1.829 do Código Civil, anteriormente aplicável somente aos cônjuges, que é mais benéfico do que o regime aplicável aos companheiros previsto no art. 1.790 do Código Civil.

imagem-2017-05-07-14941868432514 O STF entendeu que a hierarquização entre entidades familiares – união estável e casamento civil – mostra-se incompatível com a Constituição, já que esta contempla diferentes formas de entidade familiar, devendo então haver a equiparação entre cônjuges e companheiros, para fins sucessórios. No julgamento, prevaleceu o voto do Ministro Luís Roberto Barroso, relator do RE 878.694, que proferiu o primeiro voto divergente no RE 646.721, de relatoria do Ministro Marco Aurélio, vencido ao negar provimento ao recurso.

Em complemento, no julgamento do RE 646.721 a equiparação do companheiro ao cônjuge para fins sucessórios foi estendida às uniões homoafetivas, tendo em vista que o STF já havia equiparado as uniões homoafetivas às uniões heteroafetivas.

Por sua vez, o art. 1.829 do Código Civil, inclui em terceiro lugar na sucessão legítima o cônjuge sobrevivente, de forma que, na ausência de descendentes e ascendentes o cônjuge receba a totalidade da herança.

A equipe Societária de nosso escritório se encontra à disposição para esclarecimento de dúvidas a respeito dos efeitos desta decisão.    

Outras notícias

Sócia e advogada do RV&LC participaram de lançamento da obra coletiva “Temas Relevantes no Direito de Energia Elétrica”

Maria João Rolim e Alice de Siqueira Khouri, sócia e advogada do escritório RV&LC, participaram do lançamento da obra coletiva “Temas Relevantes no Direito de Energia Elétrica”, ocorrido na última quinta feira (14/12) na Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro. Maria João e Alice contribuem anualmente para o livro que reúne diversos artigos acerca […]

5ª Rodada de Discussões da Comissão de Infraestrutura CCFB

Alternativas e Desafios para o desenvolvimento de projetos de infraestrutura. Luis Gustavo Miranda, sócio do RV&LC e coordenador da Comissão de Infraestrutura, participará da 5ª Rodada de Discussões da Comissão de Infraestrutura da Câmara de Comércio França Brasil. O evento contará com a presença de Adriano Pinho, CEO da BH Airport, e Gustavo Xavier Barreto, […]

Alice de Siqueira Khouri, advogada do RV&LC lança livro “Súmula Vinculante nº 13 e o STF: Um caso de ativismo”

Alice de Siqueira Khouri, advogada do RV&LC, lançará seu livro “Súmula Vinculante nº 13 e o STF: Um caso de Ativismo”. A obra trata dos limites do ativismo judicial contra o Estado, considerando o conflito entre os  princípios da separação de poderes e da segurança jurídica, quando ausente a atividade legislativa. O livro aborda esses […]